A informação protege contra a discriminação



A temática do preconceito na migração tem uma faceta que não deve ser ignorada: discriminação é passível de punição. Falamos no dia 1 de fevereiro, durante o encontro do Migração em Debate em Murten, que devemos nos fortalecer psicologicamente para lidar com a questão xenófoba que lidamos no dia a dia como estrangeiros.


Entretanto, enfrentar a intolerância significa ir além de seguir com cabeça erguida; pede que nunca se deixe de lutar contra. É importante batalhar pelos nossos direitos. Tivemos aqui na Suíça, no fim de semana do dia 9 de fevereiro, a aprovação da nova lei que faz com que declarações homofóbicas sejam enquadradas como crime.


Além desse avanço, temos também uma série de órgãos que orientam e cuidam de outras diversas formas de preconceito. Conforme prometido durante o evento, anexamos o link para o panfleto em língua portuguesa produzido pela UNIA – entitulado de Racismo não, com diversos nomes e endereços desses locais.


Acrescentamos o link de um artigo publicado na Swissinfo.ch sobre o que significa exatamente essa nova Lei.


Recebemos de uma das participantes, Anelise de Freitas (Integração na Cidade de Grenchen – Cantão Solothurn) uma cópia do relatório anual "Rassismusvorfälle in der Beratungspraxis 2018" divulgado pela Comissão Federal contra o Racismo EKR e humanrights.ch. com informações relevantes sobre o tema e nomes de centros de aconselhamento em toda a Suíça.


Tomem ciência de que ninguém pode nos desrespeitar por sermos diferentes. Só o conhecimento dos nossos direitos vai realmente nos proteger.